sexta-feira

A Chegar

A correr com os pés a caminho das mãos
a levar o vento ao lado do sol
a agredir campos e rios de movimento
a perseguir passos feitos de respiração
a largar palavras construídas de ausência
a desbravar matos
a predispor a coragem a existir
a provocar a re-forma de uma pele
para erguer a muralha de um instante:
chegar onde já estava,
junto de si...

1 comentário:

paulocorreia disse...

Há palavras e sentidos no seu trabalho pictoral.
Arriscaria a dizer que há poesia. Mas o que é poesia hoje em dia?